Pride Azores logotipo

Pride Azores logotipo
Bem Vind@s Welcome

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Voto de saudação não é suficiente para Pride Azores

Voto de saudação não é suficiente para Pride Azores

"O direito de nos manifestarmos e de termos orgulho naquilo que somos, naquilo que nos dá prazer, de quem gostamos, de defender as nossas convicções, são direitos humanos, fundamento de qualquer regime democrático." Assim começa o voto de saudação à Marcha LGBT dos Açores, apresentado no Parlamento dos Açores pelo Bloco de Esquerda,  aprovado com os votos de todas as bancadas e abstenção do PSD/A.
A associação LGBT (lésbica, gay, bissexual, transgenero) Pride Azores tem em conta e agradece a ação do Bloco de Esquerda em levar a questão para dentro do Parlamento, mas o grande desafio de todos os movimentos, incluindo os que lutam pela diversidade sexual e de género, é trazer o Parlamento cá para fora. 
Terry Costa, presidente da Associação LGBT Pride Azores reconhece que qualquer iniciativa de visibilidade é importante adicionando que  "Visibilidade é educação, mas não é com votos de saudação entre as paredes do Parlamento que mudamos a realidade diária das pessoas que são discriminadas nos Açores, é urgente uma política de proximidade para quem ocupa cargos político-partidários entender o mundo para além dos gabinetes, a realidade diária das pessoas LGBT nos Açores."
Cassilda Pascoal, ativista social, diz que "Das cadeiras do parlamento é fácil, agora na rua junto com as pessoas nem vê-los. O próprio texto da iniciativa parlamentar não é satisfatório para gerar sentimento de total identidade com a população LGBT, comete falhas ao reforçar algumas ideias pré-concebidas. Esses fatos representam bem o distanciamento entre quem está em cargos de decisão e o povo e deixa clara a falta de compromisso entre os parlamentares com a população."

 
Nem de levantar o dedo a bancada do PSD/A é capaz

Na continuação do debate, a deputada Zuraida Soares afirmou que "Não há abstenção para um responsável político quando a luta pelos Direitos Humanos está em causa". Mas aconteceu na bancada do PSD/A que se demitiu de tomar posição, usando a abstenção para camuflar os seus ideais conservadores.
"Nem levantar um dedo em favor ou contra deste voto de saudação, os deputados do PSD/A foram capazes. Fico triste por ver alguns destes indivíduos sem coragem, nem autonomia, para lutar por quem são. É uma pena que a homofobia interna e o medo reine no PSD/A, mas isto também mostra o quanto trabalho é necessário para fazer nos Açores, quando nos defrontamos com situações em que uma coisa tão simples como levantar o dedo parece impossível para alguns", acrescenta Terry Costa.

A Associação LGBT (lésbica, gay, bissexual, transgénero) Pride Azores foi criada com o objetivo de trabalhar o combate à forte homofobia que se manifesta sob várias formas nos Açores, consequente de medos, desconhecimento e ignorância. Pride Azores chama a atenção a todas as entidades governamentais e não-governamentais, educadores, comunicação social e famílias, para a mudança urgente da sociedade atual. Não pode ser aceitável que se continue a educar para o ódio e preconceito em vez de se educar para o amor e o respeito. Que legado social é este que vamos deixar às futuras gerações? Continuar a dizer-lhes que vão embora se querem liberdade e paz social porque nos Açores não conseguem?
É urgente agir agora para que todos os passos sejam dados em frente. A Pride Azores continuará na luta pela liberdade, contra todos os preconceitos.

Parlamento dos Açores saúda luta pelos Direitos Humanos da marcha LGBT de Ponta Delgada

Parlamento dos Açores saúda luta pelos Direitos Humanos da marcha LGBT de Ponta Delgada
Horta, 11 set (Lusa) - O parlamento dos Açores aprovou hoje um voto de saudação à marcha LGBT que decorreu a 30 de agosto em Ponta Delgada, sublinhando que esta é uma "questão de Direitos Humanos".
O voto foi proposto pelo Bloco de Esquerda e votado favoravelmente por todos os partidos à exceção do PSD, que se absteve, o que originou algumas críticas.
A marcha LGBT, organizada pela associação Pride Azores, procurou "retirar os açorianos e as açorianas gay, lésbicas, bissexuais e transexuais da invisibilidade", lê-se no texto aprovado pelo plenário.
"O preconceito e a discriminação existem, nos seus mais diversos graus, só ocultados pela invisibilidade social das suas vítimas, pelo que qualquer manifestação é, também, um meio de combater ambos. Por isso, a desvalorização da importância da referida visibilidade é, também ela, uma forma de cumplicidade com o preconceito e a descriminação", acrescenta.
A terceira edição da marcha LGBT dos Açores mobilizou pouco mais de dez pessoas, menos do que nos anos anteriores, o que a organização atribuiu a "pressões" para um regresso "ao armário" na região, depois da visibilidade que as primeiras manifestações deram à causa.
"Qualquer iniciativa, tenha dez pessoas, tenha duas pessoas, tenha 20 ou 15, qualquer iniciativa que promova uma discussão aberta, desempoeirada e que permita e garanta uma evolução da nossa sociedade e de mentalidades na nossa sociedade será sempre positiva e para a qual os agentes do sistema política devem contribuir", disse o deputado Berto Messias, líder da bancada do PS, que tem maioria absoluta no parlamento açoriano.
O PS sublinhou a importância de qualquer combate à descriminação e a "qualquer tipo de perseguição".
O PSD foi a única bancada que não votou a favor do texto, optando pela abstenção.
"Os deputados do PSD respeitam, por princípio, a liberdade de os cidadãos se manifestarem sobre as suas opções de vida e orientação, mas se em cada momento formos a saudar uma manifestação, sobre o tipo de organização e sobre o tipo de orientação, o parlamento está aqui a tomar uma posição", justificou o deputado social-democrata António Ventura.
Zuraida Soares, do BE, considerou que "não é possível um cidadão de pleno direito, sobretudo com responsabilidades políticas, abster-se no combate pelos direitos humanos e um mundo onde a não descriminação seja a palavra de ordem".
"Não há abstenção para um responsável político quando a luta pelos Direitos Humanos está em causa", sublinhou.
Ainda durante esta manhã, o plenário açoriano chumbou um voto de protesto, apresentado pelo PSD, por causa do cancelamento de uma ligação de um barco de passageiros à Graciosa na semana passada.
O PSD defendeu que não havia motivos de ordem atmosférica para esse cancelamento, mas PS, BE, CDS-PP e PCP sublinharam que essa é uma decisão técnica, que cabe apenas ao comandante do navio, e votaram contra.
 
MP // JLG
 
Lusa/Fim
 

domingo, 31 de agosto de 2014

Balanço de três anos da Pride Azores

Balanço de três anos da Pride Azores

A Associação LGBT (lésbica, gay, bissexual, transgénero) Pride Azores foi criada com o objetivo de trabalhar o combate à forte homofobia que se manifesta sob várias formas nos Açores, consequente de medos, desconhecimento e ignorância.

O preconceito com base na orientação sexual na região é, depois da discriminação de género, aquela que mais se faz sentir. Para além da discriminação existente na lei, que impede as pessoas LGBT de terem direitos civis na plenitude, o conservadorismo existente nos Açores só permite que as pessoas sejam socialmente aceites quando estas omitem as suas identidades.

Ao longo dos últimos três anos, a associação Pride Azores trabalhou em prol da visibilidade da diversidade sexual e identidade de género. Essa mesma visibilidade trouxe à tona também a homofobia e repressão exercida por parte de vários sectores sociais.

Neste balanço de três anos, podemos afirmar com toda a convicção, pelas experiências e situações que fomos vivendo e acompanhando que muitas dezenas, se não centenas das pessoas que iniciaram um caminho para a afirmação das suas sexualidades recuaram neste mesmo caminho depois de se confrontarem com situações de pressão, sob forma de ameaças subtis pondo em causa os seus postos de trabalho, projectos sociais ou relações pessoais. Outras ainda, não querendo recuar no caminho iniciado, e como tantas centenas nas décadas passadas, procuraram a sua liberdade fora da região.

Fazemos agora esta chamada de atenção a todas as entidades governamentais e não-governamentais, educadores, comunicação social e famílias, para a mudança urgente da sociedade atual. Não pode ser aceitável que se continue a educar para o ódio e preconceito em vez de se educar para o amor e o respeito. Que legado social é este que vamos deixar às futuras gerações? Continuar a dizer-lhes que vão embora se querem liberdade e paz social porque nos Açores não conseguem?
É urgente agir agora para que todos os passos sejam dados em frente.
A Pride Azores continuará na luta pela liberdade, contra todos os preconceitos.


Cassilda Pascoal & Terry Costa
Associação LGBT Pride Azores
www.prideazores.com

MARCHA LGBTS 2014 AÇORES

Marcha LGBTS Açores, 30 agosto 2014






Terra Nostra, 29 agosto 2014

Terra Nosta, 29 agosto 2014










 Diário Insular, 28 agosto 2014

Diário Insular, 27 agosto 2014


sexta-feira, 1 de agosto de 2014

programação FESTIVAL PRIDE AZORES 2014 ponta delgada

FESTIVAL PRIDE AZORES
28, 29, 30 agosto 2014
Ponta Delgada, São Miguel, Açores


quinta 28 agosto
19h00 Jardim Antero de Quental: "Alice Moderno e Maria Evelina: Amor e Ativismo em São Miguel", Coletivo Alice Moderno


22h00 Biblioteca Pública e Arquivo Regional (BPAR): LGBT em FILMES

Exposição: ALL LOVE IS EQUAL de Braden Summers


Exposição "Portugal e o Mundo nos Direitos LGBT" - de 28 a 31 de Agosto SOLMAR Praça Central (iniciativa a cargo de UMAR-Açores)

sexta 29 agosto
10h00 - 20h00 Exposição "Portugal e o Mundo nos Direitos LGBT" - de 28 a 31 de Agosto SOLMAR Praça Central (iniciativa a cargo de UMAR-Açores)
19h30 - Jardim Antero de Quental: Debate "Portugal e o Mundo nos Direitos LGBT - Adopção SIM ou NÃO?"



21h00 Ateneu Criativo, Ponta Delgada:
Tertúlia do projeto "Antes de me discriminares, conhece-me!"
VIVER EM IGUALDADE, AMAR EM IGUALDADE
uma parceria CIPA - Novo Dia com a Direção Regional da Juventude e com a Direção Regional da Solidariedade Social.


Ser LGBT nos Açores - tens alguma história para partilhar?
Poesia e Prosa temática - tens algo para ler ou que queiras partilhar? é só aparecer...


sábado 30 agosto

10h00 - 20h00 Exposição "Portugal e o Mundo nos Direitos LGBT" - de 28 a 31 de Agosto SOLMAR Praça Central (iniciativa a cargo de UMAR-Açores)
18h00 Portas da Cidade: MARCHA LGBTS (lésbica, gay, bisexual, trans, simpatizante) a prol dos direitos humanos para todos os seres humanos

19h00 Portas do Mar: Encontro no Tentorium logo a seguir à Marcha, depoimentos e apresentações

LGBT em FILMES quinta 28 agosto 22h PDL

O Festival Pride Azores apresenta uma seleção de filmes curtas de temática LGBT.

quinta 28 agosto 22h
Biblioteca Pública e Arquivo Regional de PDL


Dentro | Bruno Autran | 15´06 | Brasil | 2014
Na casa de praia dos pais, ele comemora mais um aniversário.
A chegada inesperada de um rapaz o faz perceber que a pior ferida é aquela que te consome por dentro. TRAILER
 

Little Vulvah & Her Clitoral Awareness | Sara Koppel | 5´ | Dinamarca | 2013

Uma menina acorda de um sonho, despertado pelos pássaros de prazer que trazem um vestido curioso. Ela se propõe a explorar a natureza, e é absorvida em momentos estranhos de prazer durante o desenvolvimento até ser uma jovem mulher.

AMIAS | John Giordano | 9´08 | UK | 2013 
É a caminhada de um rapaz a partir do ponto de vista privilegiado de seu mais profundo inconsciente. A história catapulta para uma dimensão onírica num lugar entre o sonho e a realidade, constantemente dividido entre o que é agora, o que foi e o que poderia ser, não apenas para ele, mas para cada um de nós. TRAILER




HALF LIFE | Nicolas Pourliaros | 5´33 | Grécia | 2014
Harry é um jovem na casa dos trinta e vive em Atenas. Encontramo-lo no período mais difícil de sua vida. Ele não tem nenhum dinheiro, ele não tem um emprego, cortaram seu abastecimento de água, porque não podia pagar as contas de seu apartamento. Ele está desesperado e podemos vê-lo a realizar uma decisão arriscada para o seu futuro, a fim de sobreviver a crise na Grécia.


 
 
SHIMI | Kate Maveau | 20´ | Bélgica | 2013
SHIMI é a história da KEELY, uma adolescente de 16 anos, solitária, que tem sido rudemente tratada por Sarah (18), uma colega da sua aula de ballet. Num momento inesperado, Keely atende Mairi (21), uma moça excêntrica e atraente que é o total oposto. Uma nova amizade é criada e através de uma narrativa poética cinematográfica descobrimos muito mais de psicologia.  TRAILER
 

cartaz do Festival Pride Azores 2014


ABRIR ARMÁRIOS, CRIAR PONTES
Festival Pride Azores
28, 29, 30 agosto 2014

Ponta Delgada, São Miguel, Açores



domingo, 13 de julho de 2014

Festival Pride Azores de 28 a 30 de agosto 2014

Já lá vão três anos de visibilidade LGBT no arquipélago dos Açores através da Associação LGBT Pride Azores. Muito tem mudado. Muito para se fazer.
Estamos a preparar programa para o terceiro Festival Pride Azores - queres fazer parte? prideazores@gmail.com
De quinta dia 28 a sábado dia 30 de agosto com a Marcha LGBT, a prol dos direitos humanos para todos os seres humanos, vamos estar presentes na maior cidade dos Açores, Ponta Delgada.