Pride Azores logotipo

Pride Azores logotipo
Bem Vind@s Welcome

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Cônsul dos Estados Unidos da América nos Açores presente na PDL PRIDE18

"Muito obrigado, Pedro e Ponta Delgada LGBT por me convidarem para este bonito evento cheio de arco-íris. É uma enorme honra estar aqui, não só como Cônsul dos Estados Unidos da América nos Açores, mas também como homem gay. Levei décadas para chegar ao ponto onde me encontro, confortável e orgulhoso da minha identidade. Ao contrário da forma asiática dos meus olhos, a minha sexualidade não é visível, mas é também parte importante daquilo que sou. Quando andava na escola, pensava que era o único que se sentia diferente, que seria o único a não ter os mesmos sentimentos que o resto dos meus amigos e colegas. Mais tarde, aprendi que não estava sozinho. Conheci outras pessoas como eu. Fiz amigos que me apoiavam incondicionalmente. Assumi-me perante os meus pais. E segui em frente. Também tive muita sorte em ter nascido e sido criado em Nova Iorque, onde existe uma grande comunidade gay, com muitos exemplos de referência.
De facto, o movimento dos direitos gay na história moderna começou em Nova Iorque em 1969. Durante os Stonewall Riots, membros das comunidades gay e transexual foram para a rua para defenderem e lutarem pelos seus direitos. Nesses dias, amar alguém do mesmo sexo era ilegal em quase todos os 50 estados americanos; lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais não tinham qualquer tipo de protecção ao assédio e à violência. Felizmente, o progresso foi imenso. Hoje, casamento com pessoas do mesmo sexo é permitido por todos os Estados Unidos, e muitas pessoas vivem orgulhosas, incluindo celebridades como Ellen Degeneres, CEOs como Tim Cook da Apple, e políticos como a Senadora norte-americana, Tammy Baldwin. Enquanto temos muitas coisas para celebrar, ainda temos muito mais que fazer. Há dois anos, 49 pessoas foram assassinadas na Pulse, uma discoteca gay em Orlando. Como disse o Secretário de Estado norte-americano, “em muitas partes do mundo, continua a haver violência, assédio e intimidação a pessoas LGBTI que defendem os direitos humanos, participando em marchas pacíficas, expressando os seus ideais, ou simplesmente sendo quem são”. Falei, recentemente, com dois activistas gay, que me disseram que o maior problema nos Açores para a comunidade LGBT é a indiferença. Indiferença. Isso entristeceu-me. Como referiu Elie Wiesel, o vencedor do Prémio Nobel e sobrevivente do holocausto, o oposto do amor não é o ódio, mas sim a indiferença. Amando pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto, todos merecemos viver livres e com autenticidade, com total apoio dos nossos amigos, família e comunidade. Quando somos reconhecidos e admirados por quem somos e pelas pessoas de quem gostamos, o mundo segue em frente. É também um facto que os países que mais aceitam e apoiam os direitos LGBTI são os que tem maior desenvolvimento económico. Eventos como este de hoje, são importantes porque mostram que existimos. Somos amigos, vizinhos, colegas e família. Para simplificar, amor é amor, e abrange todas as suas muitas formas. Para concluir, gostaria de agradecer aos organizadores e apoiantes que se juntaram, hoje, a nós. Happy Pride!"

Jason Chue, Cônsul dos Estados Unidos da América nos Açores


Cônsul dos Estados Unidos da América nos Açores, Jason Chue, com Pedro Morais, organizador do PDL PRIDE18, e Terry Costa, o fundador da Associação LGBT Pride Azores

Pride 2018

Porque o movimento é de todas e todos que participam em nome de todos e todas que ainda não conseguem ter voz. Porque o "orgulho" (Pride) é de não ter medo, é de viver naturalmente na sociedade. Passo a passo... Obrigado Pedro Morais por liderares esta manifestação em PDL PRIDE18. Sempre em frente. 
Obrigado a todas e todos que se juntaram e caminharam em nome do movimento LGBT. 
tc
Foto: Obrigado BE

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Fobias afetam todas as idades

Fobias afetam todas as idades

O dia 17 de Maio é marcado pelo mundo como Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia.  Fobias afetam todas as idades é a mensagem que a associação LGBT Pride Azores deseja explorar este ano, com o foco principal sendo dedicado a pessoas de terceira idade, quase sempre esquecidas nesta luta para com os direitos humanos. 

Idosos LGBT experienciam os mesmos problemas relacionados ao envelhecimento que todos os outros idosos. No entanto, estudos sobre suas condições de vida mostram que muitos idosos LGBT também enfrentam desafios especiais. Em geral, não têm uma rede de apoio familiar tão forte quanto a dos heterossexuais; têm medo de serem submetidos a homofobia e transfobia em ambientes seniores e temem que tenham que esconder sua orientação sexual ou sua identidade ou expressão de género; são mais propensos do que a pessoa comum a sentir solidão e depressão e desenvolver transtornos por uso de substâncias; e, são mais propensos a contemplar o suicídio.

Esta situação é o resultado de dificuldades encontradas durante suas vidas. A criminalização, a condenação religiosa da homossexualidade e da identidade trans são a fonte de estereótipos, preconceitos e estigmas que persistem até hoje. Essa falha em reconhecer suas circunstâncias especiais, especialmente em locais onde os idosos vivem e recebem serviços, tem impactos negativos em sua saúde física e psicológica.

Assim, a associação LGBT Pride Azores, junta-se a várias entidades regionais, nacionais e internacionais, para lançar um cartaz na Internet, pelas redes sociais, e apelando a meios de comunicação para o imprimir nas suas páginas de jornais, e colocar nos sites e blogs. A visibilidade é importante, especialmente para quem se sente só tenha mais esperança e incentive a viver seu dia a dia sendo quem é, e não o escondendo da sociedade à sua volta. No dia 17 de Maio lembre-se de todas as pessoas que fizeram ou fazem parte da sua vida, e ainda são discriminados por serem humanos, especialmente os que já tem mais experiência de vida.



terça-feira, 17 de abril de 2018

este foi o primeiro cartaz da associação

O primeiro cartaz que a associação LGBT Pride Azores apresentou, no outono 2011, continua muito atual.  Partilhe com quem necessite ou ate mesmo nas vossas redes sociais... 


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

17 de junho 2017 em Angra do Heroísmo - Terceira


Guilherme Parreira liderou uma ação de sensibilização e visibilidade para com o movimento LGBT no dia 17 de junho 2017 em Angra do Heroísmo, Terceira.
Necessitamos de mais atividades destas por todas as ilhas. Quem vai liderar a próxima? Pride Azores está aqui para incentivar e ajudar indivíduos e grupos - nós tod@s somos Pride Azores.
Parabéns Guilherme e esperamos que seja uma marco anual na tua cidade de Angra do Heroísmo.

Lê a escrita do Guilherme publicada por 9ID/Azores News.
E aqui está a notícia na RTP/A:

domingo, 6 de agosto de 2017

Como vamos mudar o mundo?

Olá pessoal,

O verão está connosco e é tempo de renovar a Associação LGBT Pride Azores. O que vais fazer para melhorar os Açores através da Pride Azores. O que desejas ver acontecer? Tu és Pride Azores. Esperamos vossos contactos e participação azoresfringe@gmail.com

Pride somos tod@s nós...

terça-feira, 16 de maio de 2017

17 Maio 2017



17 de Maio 2017
Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia
cartaz por www.homophobie.org
editado por Vitor Oliveira 

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Apoio a vitimas LGBT

Homofobia em Portugal é crime... e continua a ser uma das maiores preocupações da nossa associação. Temos que denunciar - não tenhas medo.

Páginas homofóbicas no facebook podem dar prisão 

Apoio a vitimas LGBT: ILGA Portugal assinou uma carta de compromisso com a Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade que tem como finalidade a atribuição de uma subvenção para a criação de um Serviço de Apoio a Vítimas LGBT (SAV LGBT).

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Palestra & Conversa

"A palestra teve lugar no Centro Municipal da Cultura e estiveram presentes na mesa de honra eu, Pedro Morais, fundador do movimento Ponta Delgada LGBT, o Pedro Neves, representante da PAN Açores, a Vereadora da Câmara Municipal de Ponta Delgada, a Dra. Fátima Rego, o Tiago Paquete, membro do movimento e a D. Clarisse Canha, representante da UMAR Açores. Apresentamos estratégias para combater o preconceito e a discriminação contra a Comunidade LGBT de Ponta Delgada e eu apresentei o meu movimento á sociedade. Ainda estivemos a debater sobre a juventude que está inserida na comunidade LGBT e o que podemos fazer para alanvancar a educação dos jovens relativamente a este tema." - Pedro Morais





O Preconceito e a Comunidade LGBT nos Açores

Palestra e Conversa aberta ao publico em geral, liderado por Pedro Morais com convidados

Quinta-feira 28 de julho 2016

17h00 às 19h00

Centro Municipal da Cultura, Ponta Delgada